Pedro Calabrez fala sobre liderança e protagonismo

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O funcionamento do cérebro e sua influência no comportamento humano foi o foco da palestra Protagonismo e Transformação, ministrada pelo especialista Pedro Calabrez no segundo dia do 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo, realizado pelo Sistema OCB, de 8 a 10 de maio, em Brasília.

Com riqueza de detalhes e exemplos baseados em estudos científicos, Pedro Calabrez explicou como a emoção tem influência nas escolhas e atitudes do dia a dia. “As estruturas cerebrais carregam as nossas decisões com emoções.” Segundo o psiquiatra, “o valor das coisas está na produção emocional que existe sobre elas”.

Transportando esse entendimento para a esfera empresarial, Pedro orientou os cooperados presentes ao 14º CBC como adaptar as condições em favorecimento do seu produto. Nesse caso, é fundamental ter uma atuação de liderança, com aplicação de uma “inteligência de cooperação”, para se alcançar um bom protagonismo de transformação.

Liderança dissonante envolve a distância emocional, um líder frio, que lidera por meio do medo, usa motivadores extrínsecos, como dinheiro, gerando como consequência desconfiança e levando seus liderados a estágios de ansiedade, estresse, tédio e desmotivação diante de desafios.

Liderança ressonante envolve empatia, que ao contrário do que se pensa não é se colocar no lugar do outro, mas sim uma competência que envolve tentar sair de si mesmo e entender que o outro é outro, ter respeito. Essa liderança tem como motivadores intrínsecos como inspiração e propósito, dão “a sensação de que se a gente batalhar, a gente vai chegar longe”. Assim, esse líder leva as pessoas à transformação através da inspiração e do engajamento diante dos desafios. Isso ocorre porque ele tende a entregar desafios de acordo com as competências da equipe.

Estatisticamente, o Brasil registrou em 2014 índice de 6,5% em confiança, sendo um dos povos mais desconfiados do mundo. Conforme explicado por Pedro Calabrez, a confiança está diretamente relacionada com o sucesso econômico. Por essa razão, o modelo de liderança ressonante é o mais adequado ao cooperativismo brasileiro. Além do fato de que a ressonância gera confiança e respeito, valores sem preço.

Para reforçar essa teoria, Pedro elencou os benefícios do sentimento de confiança dentro de uma empresa. Um estudo realizado com mais de 500 empresas verificou que colaboradores manifestaram “106% mais energia, 76% mais engajamento, 50% mais produtividade, 60% de satisfação com o trabalho, 41% de percepção de conquista, 66% de proximidade com os colegas”.

O que se percebe é que o padrão ressonante agrega diversos benefícios a uma empresa, viabilizando um comportamento mais aberto e adaptável a mudanças e mais positivista diante de obstáculos.

FOTOS

Clique aqui para conferir as fotos.

Fonte: Somos Cooperativismo / Sistema OCB

Comunicação

Comunicação

Você também pode gostar de:

Gestão criativa e colaborativa em pauta no CBC

A temática do impacto da transformação digital e social tem sido um tema debatido com frequência por quem está diretamente no mercado. E Este assunto foi um dos destaques do workshop, que teve Pedro Mello e Mauro Peres, ambos da Reset – especialistas em treinamentos sobre gestão de vendas e Open Leaders Organization, como palestrantes.

Ler mais »

Estande do SomosCoop divulga carimbo do movimento

Em 2017, último ano de divulgação dos dados segmentados das exportações brasileiras, as cooperativas movimentaram mais de US$ 6 bilhões, exportando produtos como carnes, grãos e frutas, a países dos continentes europeu, americano e asiáticos.

Ler mais »

Agenda Institucional

[tribe_mini_calendar limit="3"]