Representantes de cooperativas de transporte alternativo participam de Seminário em Rio das Ostras

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A cidade de Rio das Ostras, na Região dos Lagos, sediou, em 18 de fevereiro, o 1º Seminário de Transporte – Licitação Pública. A atividade, realizada na Câmara de Vereadores da cidade, contou com as participações de representantes da Prefeitura de Rio das Ostras e de cooperativas locais.

A proposta foi apresentar ao público questões técnicas acerca de um processo de licitação pública na área de transporte público. A cidade tem como uma das peculiaridades o fato de o Transporte Alternativo de passageiros ser o principal  e único – dependendo da localidade – modal para os moradores.

Também foram discutidas a Organização Técnica e Mobilidade Urbana do Transporte de Passageiros, questões jurídicas que envolvem o processo licitatório e, por fim, a Excelência no atendimento ao cliente.

O presidente do Sistema OCB/Sescoop-RJ, Vinicius Mesquita, afirmou que a instituição está acompanhando os passos do processo de licitação do transporte alternativo. “O edital precisa garantir a qualidade do serviço e a viabilidade econômica das cooperativas. Além disso, o encontro serviu para mostrar junto ao Poder Público que temos força política”, disse.

Secretário de Transportes Públicos, Acessibilidade e Mobilidade Urbana de Rio das Ostras, Marcus David Gomes de Rezende parabenizou o Sistema OCB/Sescoop-RJ e as cooperativas pela realização do Seminário. “A licitação para o Sistema de Transporte de Rio das Ostras será feita, pois é uma determinação da Justiça. Porém, estamos trabalhando de forma transparente e legal, e buscando exemplos positivos em outras cidades, para que ninguém seja desfavorecido nesse processo licitatório”, comentou.

O presidente da Coopenseada, Cláudio Henrique da Silva, disse sobre a necessidade de os representantes das cooperativas estarem conscientes. “Precisamos entender o momento importante que a categoria está passando na cidade. E é imprescindível que estejamos organizados. Por isso, a realização deste seminário”.  

Palestras

Ao longo do evento, palestras tocaram em pontos sensíveis e importantes para o segmento de transporte alternativo. O engenheiro de transportes da Coppe/UFRJ, Marcelino Aurélio, abordou, por exemplo, a mobilidade urbana.  Ele frisou que a categoria precisa lidar com as novas tecnologias, que estão impactando muito no transporte. “Os aplicativos de transporte são uma realidade. O público jovem, por exemplo, cada vez mais está buscando alternativas de se locomover. Por que não criar um  aplicativo com as cooperativas que atendem na cidade, com gerenciamento centralizado? Se vocês adotarem isso, estarão muito na frente”, disse.

O assessor jurídico do Sistema OCB/Sescoop-RJ, Ronaldo Gaudio, comentou sobre as questões jurídicas do processo licitatório. “O cooperativismo é o melhor modelo de desenvolvimento local. Quanto a licitação, é ideal que o grupo se prepare e organize as documentações e, posteriormente, levante conjuntamente as demandas da categoria”.  

Em seguida, o instrutor João Alfredo Caravana pontuou a excelência na qualidade de atendimento. “Cada condutor representa a instituição. É preciso buscar e entender o que o cliente deseja”, disse.

Após esse Seminário, estão previstos encontros que debaterão outras temáticas que permeiam a categoria em Rio das Ostras.

Fonte: Comunicação do Sistema OCB/RJ

Comunicação

Comunicação

Você também pode gostar de:

Gestão criativa e colaborativa em pauta no CBC

A temática do impacto da transformação digital e social tem sido um tema debatido com frequência por quem está diretamente no mercado. E Este assunto foi um dos destaques do workshop, que teve Pedro Mello e Mauro Peres, ambos da Reset – especialistas em treinamentos sobre gestão de vendas e Open Leaders Organization, como palestrantes.

Ler mais »

Estande do SomosCoop divulga carimbo do movimento

Em 2017, último ano de divulgação dos dados segmentados das exportações brasileiras, as cooperativas movimentaram mais de US$ 6 bilhões, exportando produtos como carnes, grãos e frutas, a países dos continentes europeu, americano e asiáticos.

Ler mais »

Agenda Institucional

[tribe_mini_calendar limit="3"]