Educacionais preparam estudantes para o ENEM 2018

As férias de meio de ano terminaram e para milhões de jovens é a reta final de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que ocorrerá em novembro, e que nos últimos anos tem sido a porta de entrada de estudantes para o ensino superior. Só em 2018, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mais de 5 milhões de estudantes se inscreveram ao processo. As cooperativas educacionais, desde o início deste ano, já desenvolvem iniciativas com o objetivo de aprimorar o desempenho dos estudantes.

Escola Fribourg, Colégio Pró-Uni, Cooperativa Educacional São Bento, Cooperativa Educacional Cesar Almeida e Cooperar são algumas das instituições que terão estudantes inscritos. Em 2017, 130 alunos destas unidades educacionais prestaram o Exame no Estado e os resultados foram satisfatórios, com notas acima da média em cada uma das áreas de conhecimento cobradas na prova (Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Códigos, Matemática e Redação).

Em 2017, o Colégio Pró-Uni teve desempenho superior a outras instituições particulares e ficou com a segunda maior nota na cidade. Entre os destaques, estão as notas em Matemática – 631 pontos – e Redação – 726 pontos -, maiores que a média nacional, respectivamente, 518,5 e 558 pontos. Para esse ano, a meta é melhorar os resultados.

“Esse resultado era esperado, já que nossas medições internas apontavam para isso. Os dados coletados pelos simulados feitos apontavam o resultado que tivemos. O projeto pedagógico voltado para o desenvolvimento de habilidades e competências, e não para a apreensão de conteúdo, é o grande responsável por isso. Além disso, os investimentos feitos na área de redação levaram a escola a maior nota dos últimos 5 anos, desde que a prova do Enem passou por mudanças”, comentou a presidente da cooperativa, Valéria Siqueira.

Ela acrescenta que, para esse ano, a meta é melhorar os resultados. “Temos uma expectativa muito alta que já está sendo atendida com os resultados alcançados por alunos de todo o ensino médio em outros vestibulares. Naturalmente, esses resultados se repetiram na prova”.

Também com excelentes desempenhos nos últimos anos, a Escola Fribourg, de Nova Friburgo, tem elaborado ações junto aos seus estudantes. Em 2017, a instituição cooperativista teve 18 alunos que prestaram o Exame. As maiores médias foram alcançadas em Redação (com 692 pontos) e em Matemática (com 611 pontos).

De acordo com a diretora da cooperativa educacional, Flávia Almeida Pinto, a escola vem num processo de preparação dos alunos há 5 anos. “Inserimos laboratórios de física, química, biologia e redação para o aluno realizar práticas dos conteúdos estudados em sala e ainda contamos com apostilas específicas que tratam dos conteúdos relacionados ao Enem”. Flávia conta, ainda, que os professores são preparados a ministrarem aulas de acordo com o que é pedido na prova e em uma plataforma educacional, que fornece simulados bimestrais e proporciona ao aluno a oportunidade de vivenciar a rotina prova.

“O resultado obtido em 2017 foi resultado da a atuação de todos os professores que lecionaram na turma, bem como o diferencial de termos alunos que estudam na cooperativa desde os 7 anos de idade. Começaram os estudos com a gente e concluíram, em grande estilo, o processo da educação básica.

Outras cooperativas que têm alunos participando do Exame Nacional, são: Cooperativa Educacional São Bento (CESB), Cooperativa Educacional Cesar Almeida (ACEC) e Cooperativa Educacional dos Profissionais de Educação de Angra dos Reis (Cooperar). Localizada em Angra dos Reis, a ACEC ficou, em 2017, na 57ª colocação Nacional, 11ª colocação estadual e a 1ª em nível municipal.

A coordenadora da cooperativa, Elda Pereira Laranjeira, a unidade obteve em redação o 8º lugar nacional, 2º estadual e o 1º em Angra. “Esse resultado é fruto de um trabalho que prioriza a disciplina comportamental e a disciplina do estudo diário. Os alunos fazem uma diversidade grande de leituras e uma enorme gama de exercícios. Além disso, nossa escola participa das olimpíadas de Matemática, História, Geografia, Astronomia e, neste ano, Biologia, Física e Química”, comentou.

O que se vê é que a cada ano o cooperativismo educacional vem mostrando a sua excelência no aprendizado, diferenciando-se de escolas particulares, visto que o objetivo das cooperativas é o coletivo e a felicidade de cooperados, estudantes, pais e professores.

Reportagem: Richard Hollanda – Comunicação Sistema OCB/RJ