Rio de Janeiro sedia I Encontro Estadual de Professores do Cooperjovem

Rio de Janeiro sedia I Encontro Estadual de Professores do Cooperjovem

Novos olhares reconstroem o conhecimento”. Este foi o tema do Encontro Estadual de Professores do Cooperjovem do Rio de Janeiro, realizado na sexta-feira, 20 de outubro, no Hotel Windsor Guanabara, no Centro do Rio de Janeiro. O evento reuniu profissionais das redes municipais de educação de Bom Jesus do Itabapoana, Campos dos Goytacazes, Maricá, Vassouras e Mendes e apresentou novos horizontes para a educação, principalmente com o auxílio de novas tecnologias.

Temas das mais diversas vertentes permearam o evento. Os palestrantes Márcia Padilha – que desenvolve processos formativos para docentes tendo como base a tecnologia, criatividade, autoria e co-criação – e Rafael Parente – CEO da startup de educação Aondê / Conecturma – comentaram a “Inovação na Educação”.

Tião Rocha, antropólogo, educador popular e folclorista, comandou o painel “Inovar, como?”, e falou sobre os desafios de ser professor. Por fim, o escritor, educador e palestrante, Cláudio Thebas apresentou o “Sacoletras: uma palestra-espetáculo”.

O público-alvo do Encontro elogiou o evento e, também, o Cooperjovem, que é desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) e executado pelas Unidades Estaduais em parceria com as cooperativas associadas, baseada na relação ensino-aprendizagem, construída a partir dos princípios, valores e práticas que embasam a doutrina do cooperativismo.

Ainda durante o evento, os profissionais apresentaram inúmeros Projetos Educacionais Cooperativos (PECs), que, entre outras questões, estimulou a participação da comunidade no cotidiano das escolas, a mudança de comportamento dos estudantes e a maior participação de pais e responsáveis na vida dos estudantes.

A professora Bruna Dias Viana, da Escola Municipal Pequeno Jornaleiro, de Campos dos Goytacazes, apresentou o projeto realizado na Unidade Escolar, que possui cerca de 400 estudantes. De acordo com a profissional, a violência entre os estudantes era o principal problema enfrentado.

“Isso afetava até o dia-a-dia da escola e nossa proposta foi a reconstrução do comportamento humano. Para isso, fizemos palestras sobre a violência com a Guarda Municipal, entre outras ações. Como resultados, tivemos a reconquista de novos estudantes e um envolvimento maior entre professores e alunos”, comentou.

Outro profissional que apresentou um PEC foi Julliane Cortez, da Escola Municipal Vereador João da Silva Bezerra, de Maricá. Lá, eles promoveram o projeto “Movimento Transhortar”, que promoveu da coleta seletiva. “Nós incorporamos ao nosso cotidiano os valores cooperativos e a importância de se trabalhar em conjunto”.

Secretária de Educação, Lazer e Esporte de Bom Jesus do Itabapoana, Angélica Fonseca Nunes, elogiou o projeto. “Estou orgulhosa do que tem sido feito por nossas equipes nas escolas de Bom Jesus do Itabapoana. Temos tido um bom retorno, pois o programa atua com questões que estão dentro da realidade de professores e alunos”, comentou.

Secretária de Educação e Cultura do Município de Mendes, Leandra Miranda também enalteceu o Cooperjovem. “Pessoas transformam o mundo. Então, eu vou atrás de pessoas que correm atrás desse sonho. Agradeço as instituições idealizadoras do programa por terem um olhar tão carinhoso com a educação em nosso país. Acredito que podemos transformar vidas”, comentou.

Dirigentes
Entre os dirigentes presentes, a felicidade de assistirem aos bons resultados do Cooperjovem estava estampada nos rostos. Diretora do Sicoob Central Rio, Nábia Jorge afirmou que trazer o Cooperjovem para o Rio de Janeiro é um sonho que se tornou realidade. “Hoje, estamos em 41 escolas, impactando 4.600 alunos e 121 professores em cinco municípios. Isso nos orgulha muito e mostra que o projeto deu certo e, com convicção acredito que a cooperação é o caminho para a educação brasileira”, afirmou.

O presidente do Sistema OCB/Sescoop-RJ, Marcos Diaz, corroborou com o depoimento de Nábia. “O desenvolvimento e a renovação dos quadros de nossas cooperativas vêm, justamente, através de ações nas escolas. Estamos satisfeitos com os resultados já alcançados, mas queremos ampliar o Cooperjovem para mais cidades”, falou Diaz.

Para a coordenadora de Promoção Social do Sescoop/RJ, Cristiane Quaresma, “o Cooperjovem está lançando um novo olhar para crianças e adolescentes e mudará a realidade da educação fluminense”.

Após o Encontro, o Cooperjovem continuará sendo desenvolvido pelas redes municipais já implementadas. A partir de 2018, novas ações serão promovidas nas escolas.

Clique aqui e veja a galeria de fotos.

Reportagem: Richard Hollanda – Comunicoop – Assessoria de Comunicação Sistema OCB/Sescoop-RJ