Contribuição da indústria nuclear para a recuperação do estado será debatida em evento na Alerj

Contribuição da indústria nuclear para a recuperação do estado será debatida em evento na Alerj

O Rio de Janeiro é o único estado do país com geração de energia nuclear. A Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, localizada em Angra dos Reis, no litoral sul fluminense, é formada pelo conjunto das usinas Angra 1, Angra 2 e Angra 3 (ainda em construção). Em 2016, essas usinas juntas geraram quase 16 milhões de megawatts-hora, a melhor marca da história, o que corresponde a aproximadamente 3% da energia elétrica consumida no Brasil e a um terço do consumo total de energia elétrica do Estado do Rio de Janeiro. No dia 29 de agosto, às 10h, o Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro, realiza no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), o seminário “Contribuição da indústria nuclear para a recuperação econômica fluminense”. Em parceria com a Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (ABDAN), o evento irá abordar as perspectivas do setor no estado e debater a retomada da construção de Angra 3. “Buscar alternativas para a crise é um dos focos do Parlamento. A indústria nuclear tem uma forte representatividade no estado, com impacto direto na geração de empregos e impostos em diversos municípios. Então este tema a ser debatido na Casa junto com os demais deputados é mais do que oportuno”, afirmou o presidente da Alerj em exercício, deputado André Ceciliano (PT).

“O mais importante nesse momento é a continuidade das obras de Angra 3. O Estado precisa disso, dada a situação econômica e social em que vivemos. É uma grande oportunidade levar esse debate à Alerj para mostrarmos a importância da conclusão dessas obras, que irá gerar empregos e impostos para os municípios localizados no entorno. Não podemos esperar mais”, explicou Celso Cunha, presidente da ABDAN, que irá apresentar no evento as tendências da indústria nuclear no Brasil e no mundo.

A participação da energia nuclear na matriz energética no planejamento nacional, as expectativas da indústria fluminense em com a retomada de investimentos em Angra 3, a construção de um submarino nuclear pela Marinha em Itaguaí, a geração de empregos e o papel da engenharia e os desafios de formação de mão de obra para esse setor também estarão em pauta. O objetivo do evento é apresentar o papel da indústria nuclear na retomada do desenvolvimento do estado. Farão parte dos painéis, o superintendente de Estudos Econômicos e Energéticos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Jefferson Borgheti; o diretor técnico da Eletronuclear, Leonam Guimarães; o diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Bento de Albuquerque Junior; Sergio de Oliveira Duarte, vice-presidente da Firjan; Fernando Jordão, prefeito de Angra dos Reis, e o presidente licenciado do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro, Reynaldo de Barros.

O evento é aberto ao público e a entrada é gratuita. Para confirmar presença basta encaminhar email contendo nome completo e cargo para  forumdesenvolvimentorj@gmail.com

Programação: “Contribuição da indústria nuclear para a recuperação econômica fluminense”

Dia: 29 de agosto

Horário: 10h às 13h

Endereço: Palácio Tiradentes – Plenário – Rua Primeiro de Março, s/nº, Centro

10h – Abertura

Presidente da Alerj – deputado estadual André Ceciliano

10h15- Tendências da indústria nuclear no Brasil e no mundo

Celso Cunha – Presidente da Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (ABDAN)

10h30 – O papel da energia nuclear na matriz energética no planejamento nacional e na economia local

Leonam Guimarães – diretor técnico da Eletronuclear

10h45 – A participação da energia nuclear na matriz energética do país e os Planos 2026 e 2050

Jefferson Borgheti – Superintendente de Estudos Econômicos e Energéticos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE)

11h – Submarino Nuclear: tecnologia e aplicações

Almirante de Esquadra Bento de Albuquerque Junior – Diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha

11h15 – As expectativas da indústria fluminense em relação à retomada de investimentos em Angra 3

Sergio de Oliveira Duarte – Vice-presidente da Firjan

11h30 – O papel da engenharia e os desafios de formação de mão de obra para o setor nuclear

Reynaldo de Barros – Presidente licenciado do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (CREA-RJ)

11h45 – O impacto econômico para o município e a região a partir da retomada da construção de Angra 3

Fernando Jordão – Prefeito de Angra dos Reis

12h – As perspectivas de retomada de Angra 3 e o planejamento energético do País

Fernando Coelho Filho – Ministro de Estado de Minas e Energia (a confirmar)

12h15 – Encerramento

Fonte: ALERJ