O amor corre nas veias: Sistema OCB/RJ promove campanha de doação de sangue

O amor corre nas veias: Sistema OCB/RJ promove campanha de doação de sangue

Estudo, trabalho, lazer…. No mundo de hoje, são inúmeras as responsabilidades das pessoas, sempre atentas às rotinas e tarefas. Tamanhas atividades, no entanto, não são suficientes para fazê-las esquecer de que “Atitudes simples movem o mundo”, como reforça a Campanha do Dia de Cooperar 2017.

E para mostrar o quanto é importante e que há sempre tempo para um gesto de solidariedade, 34 voluntários participaram no dia 7 de agosto da Campanha de Doação de Sangue “O Amor Corre nas Veias” promovida pelo Sistema OCB/RJ, em parceria com o Hemorio, órgão da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro.

A ação, alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, (ODS 3 -Saúde e Bem-Estar) e ODS 17 ( Parcerias e Meios de Implementação) coletou 26 bolsas de sangue, quantidade suficiente para salvar mais de 100 vidas.

Coordenadora Técnica de Hemopatia do Hemorio, Dra.  Luciana de Lima fez um balanço da ação: “Importante este tipo de parceria com outras instituições. Fortalece os laços e amplia o nosso trabalho. Quem doa, salva vidas. Temos casos de pessoas anêmicas, que mal conseguem caminhar e realizar atividades básicas. Isso sem contar os pacientes em emergência, vítimas de violência ou acidentes de trânsito. Com a doação, damos mais esperança à vida”, disse a Dra. Luciana.

Ela também destacou o trabalho do Hemorio que através de campanhas, visa a estimular o aumento das doações: “Estamos sempre buscando novos doadores. Atualmente atendemos a cerca de 200 hospitais públicos e conveniados com o SUS em todo o estado. Além disso, tempos pontos de coleta em locais externos, duas vezes ao dia, de segunda a sábado. Tudo isso para despertar nas pessoas o sentimento altruísta”, resumiu.

Para o Sistema OCB/Sescoop-RJ, a ideia é, a partir de agora, ampliar a campanha:

“Nosso desejo é de que seja um projeto contínuo para que breve possamos levá-lo para as sedes das cooperativas” disse a coordenadora de Promoção Social do Sescoop-RJ, Cristiane Quaresma.

Depoimentos:

Nas Campanhas de Doação de Sangue é comum encontrar pessoas que já praticam este tipo de voluntariado. É o caso do analista financeiro da OCB/RJ, Márcio Leoni, que há 15 anos alimenta a esperança daqueles que precisam de doações:

“Sinto-me muito feliz em poder ajudar ao próximo, e digo que doar é mais que entregar algo para alguém, é doar carinho e amor””, afirmou.

Há também aqueles que doam pela primeira vez. Lucas da Rocha Silva é estagiário da cooperativa Sicoob Coopjustiça. Incentivado por um amigo, entendeu a generosidade do seu ato e prometeu contribuir mais vezes:

“Oportunidade de fazer o bem, de salvar vidas e de doar a quem mais precisa”, relatou.

Regina Maria Ramos há 4 anos viu a mãe necessitar de uma transfusão sanguínea. Hoje, como naquela época, faz da solidariedade o carro-chefe das suas atitudes:

“Minha mãe sofria de câncer e meus familiares e eu doamos sangue para ela ter um pouco mais de tempo conosco. Mas na maioria das vezes doamos a quem nem conhecemos. Esse amor incondicional é muito bonito. Parabéns ao Sistema OCB/Sescoop-RJ por esta iniciativa’”, disse Regina, que é cooperada da Tupambaê e instrutora do Programa Aprendiz Cooperativo.

Luiz Cláudio Gomes, auditor-chefe da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro também deu a sua contribuição.

“ Gesto simples, importante. Não falo apenas para os que recebem a doação, mas também para os que doam. Reforça o espírito da cooperação”.

O que é feito com o sangue após a doação?

1 -Fracionamento: A bolsa de sangue total é centrifugada e separada em 3 componentes: Concentrado de hemácias, Concentrado de plaquetas e Plasma

2- Exames laboratoriais: são realizados exames para determinação do Grupo sanguíneo e para detecção de doenças transmissíveis pelo sangue.

3- Liberação da bolsa – após a realização dos exames laboratoriais, a bolsa de sangue é liberada para transfusão.

4- Transfusão – o sangue é utilizado principalmente nas grandes emergências (acidentes de trânsito, por armas, hemorragias agudas etc), nas cirurgias e em pacientes com doenças oncológicas e hematológicas.

Números

No Brasil, cerca de 3,5 milhões de pessoas realizam transfusão de sangue. Ao todo, existem no país 27 hemocentros coordenadores e 500 serviços de coleta. Atualmente, 1,8% da população brasileira doa sangue. Embora o percentual fique dentro dos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS) – de pelo menos 1% da população – o Ministério da Saúde tem trabalhado para aumentar a taxa.

Como doar

Mais informações em: hemorio.rj.gov.br ou 0800-282-0788

Reportagem: Bruno Oliveira – Analista de Comunicação do Sistema OCB/RJ