Trabalho cooperado e sua importância em pauta durante oficina

Trabalho cooperado e sua importância em pauta durante oficina

O ato da cooperação vai muito além do ajudar o outro. Mas é a forma mais ampla de unir forças e construir laços. As duas frases anteriores representam o que participantes sentiram após a oficina “Vivência de Cooperação: Inclusão, Gênero e Inovação”. O momento fez parte da 1ª Tertúlia – Estudos da Consciência, iniciado no dia 24 de outubro pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), e foi ministrado pela equipe do Comitê Gestor de Gênero Dona Terezita. 
 
A oficina, segundo a membro do Comitê, Rosângela Arruda, visou a promover uma reflexão entre os presentes sobre a importância do trabalho em conjunto. “Focamos durante nossa oficina as atividades e ações positivas, que tornam a vida de todos cada vez melhor, atingindo um equilíbrio”, disse Rosângela. 
 
Nas atividades realizadas, a parceria, as inquietações, as alianças e o contato entre os participantes foram estimulados. As competições que necessitavam de perícia, estratégia e confiança aguçaram a importância do trabalho cooperado. A bióloga Camila Borges, que é mestre em oceanografia, participou das dinâmicas. “Acho imprescindível a importância do trabalho em equipe, de forma cooperativa. Dessa forma é que podemos nos desenvolver”, comentou Camila.
 
O físico Ramon dos Santos foi outro que compareceu à oficina. “Trabalho em um laboratório e, logicamente, o dia-a-dia é bastante solitário. Acho importante o despertar para a importância do trabalho em parceria. A oficina foi uma grande oportunidade para expandir conhecimentos, que serão levados para a minha vida”, falou.  
 
O coordenador do escritório de projetos do InovUerj, professor Antônio Carlos Ritto, representando a diretora do InovUerj,professora Marinilza Carvalho, também compareceu ao encontro. “O cooperativismo e a cooperação é o caminho para o fim das desigualdades e possibilidade de crescimento do país”, afirmou. 
 
1ª Tertúlia
A oficina ministrada pelo Comitê de Gênero faz parte da 1ª Tertúlia – Estudos da Consciência. Até quinta-feira, dia 27, a Universidade promoverá debates que buscam propiciar um conhecimento relevante segundo diversas linhas de pensamento. No dia 27 de outubro, a conselheira do Sescoop/RJ, Inês Salles, participará, à partir das 14h, do debate “Bases para o modelo centrado na cooperação”, que também terá o professor Eduardo Dias Wermelinger. 

 

Fonte: Richard Hollanda – Comunicoop – Assessoria de Comunicação Sistema OCB/Sescoop-RJ