Crianças aprendem cooperativismo brincando

Crianças aprendem cooperativismo brincando

“O que você faz sozinho é difícil, mas com o cooperativismo as atividades em grupo se tornam mais fáceis”. Esta frase de Danilo Baptista, de 13 anos, poderia resumir como foi a Colônia da Cooperação, promovida pelo Sicoob Cecremef em parceria com o Sescoop/RJ, na Asbac (Associação dos Servidores do Banco Central), em Teresópolis (RJ). Mas não foi só isso.
 
De 9 e 12 de agosto, Ana Clara, 9 anos, aprendeu “muito mais sobre respeito e cooperação, além da importância de trabalhar em equipe e vários detalhes importantes sobre cooperação”, disse.
 
Além deles, participaram outras 30 crianças, de 8 a 13 anos, filhos e netos de associados do Sicoob Cecremef. Pela cooperativa, acompanharam a diretora social, Mina Fiszman, e a supervisora da Unidade Social, Isabel Carolina Caldas.
 
“Durante toda a programação, os Princípios do cooperativismo foram retratados e estimulados nas atividades práticas”, explicou Mina. A temática do primeiro dia foi inspirar. O segundo dia teve como tema criar e o terceiro foi transformar.
 
A atividade caça ao tesouro teve diversos desafios para os jovens, que foram organizados em grupos. Mas o objetivo só foi conquistado quando todos colaboraram uns com os outros.
 
Nas brincadeiras foram explorados o conceito de democracia e da participação individual na construção do coletivo. Um exemplo foi quando os jovens imaginaram a cidade de seus sonhos, trocando com os instrutores conhecimentos sobre ideias de cooperação e poder de decisão.
 
A cada término de dia um placar de valores era construído. Um pequeno encontro onde as crianças relatavam os valores e a aprendizagem de cada dinâmica.
 
Além do show de talentos individuais e da conquista de territórios, outra atividade desenvolvida foi a troca de cartas com o Lar Tia Anastácia, de Teresópolis. As crianças escreviam e em seguida respondiam as cartas recebidas. No último dia da colônia foi realizado um emocionante encontro pessoal. O estímulo à leitura e à escrita foi trabalhado nesse contexto, ação que teve como mote o conceito do Dia C.
 
O que chamou a atenção dos participantes foi que outras crianças hospedadas no local estavam deslocadas e, então, foram convidadas a participarem das brincadeiras, mostrando que o cooperativismo ultrapassa fronteiras.
 
As atividades foram orientadas pelos instrutores do Grupo Atados, que integra o Sementes de Transformação. Sua missão é mobilizar pessoas para causas sociais, o que converge para o objetivo de realização da ação, que é plantar nesta futura geração, valores como autonomia, preocupação com o grupo, solidariedade e cooperação.
 
Para a psicóloga e monitora do grupo Atados, Nina Faria, houve quebra de barreiras e paradigmas pelas crianças. “Além do conhecimento adquirido sobre cooperação, um novo vocabulário e consciência foram construídos. Nossa proposta é que elas percebam o cooperativismo em outros ambientes e possam reproduzir essas novas ações em qualquer local”, disse.
 
A melhor forma de aprendizagem é vivenciar e é desta forma que o cooperativismo foi fomentado nas crianças, através da vivência, da experimentação de perceber, interagir e conectar com o outro.

 

Fonte: Léo Poyart – Comunicoop – Assessoria de Comunicação Sistema OCB/Sescoop-RJ