Reunião discute funções da Câmara de Mediação

Reunião discute funções da Câmara de Mediação

No mês de março, cooperativas fluminenses passaram a contar com o primeiro órgão de resolução de conflitos voltado para cooperativas no Brasil. No entanto, algumas dúvidas pairam sobre como ter acesso e o que é a Câmara de Mediação do Cooperativismo Fluminense (CMCF) pode ajudar as cooperativas.  Para sanar essas dúvidas, foi realizado em 24 de maio, no auditório do Sistema OCB/Sescoop-RJ, encontro entre integrantes do órgão conciliador e cooperativas do Estado do Rio de Janeiro.

A CMCF é fruto de uma parceria entre o Sistema OCB/Sescoop-RJ e o Instituto Brasileiro de Estudos em Cooperativismo (Ibecoop), com o apoio da Comissão Especial de Direito Cooperativo da OAB/RJ e destina-se a solucionar de forma mais efetiva e pacífica os conflitos e litígios que desequilibram e judicializam as relações entre cooperados e cooperativas, ou cooperativas entre si.

Durante o encontro, foi dito quem poderia utilizar a mediação da Câmara, cooperados e cooperativas fluminenses que desejem solucionar consensualmente algum conflito. A mediação será confidencial e o mediador estará impedido de comentar sobre os fatos relatados, bem como não poderá ser testemunhas de nenhumas das partes em eventual demanda judicial. Somente o mediador e as pessoas envolvidas (mediandos), podem acessar as informações trazidas à mediação.

De acordo com a advogada Marisa Gaudio, mediadora da CMCF, a mediação se presta a todos os conflitos. “E as informações são totalmente confidenciais. Isso sem contar que muitas das vezes as decisões judiciais não atendem em 100% os anseios das partes. A mediação é um importante avanço e o Rio de Janeiro está dando o primeiro passo”, disse a advogada.
Fonte: Richard Hollanda – Comunicoop – Assessoria de Comunicação Sistema OCB/Sescoop-RJ