OCB/RJ celebra 45 anos de fundação

OCB/RJ celebra 45 anos de fundação

Quase meio século de lutas, obstáculos, mas certamente de muitas vitórias. Ao longo de seus 45 anos a OCB/RJ tem trabalhado com o intuito de obter o desenvolvimento das cooperativas fluminenses e, consequentemente, e promover o desenvolvimento social e igualitário da sociedade. Com esse histórico – e vislumbrando um cooperativismo ainda mais pujante, a instituição celebrou no dia 24 de março, os 45 anos de fundação, comemorados no último dia 10.

A solenidade, realizada na sede da OCB/RJ, contou com a presença de políticos, dirigentes de cooperativas, representantes de instituições parceiras e colaboradores. Ainda durante o evento, foram homenageadas mulheres cooperativistas que são referência para o segmento no Estado do Rio de Janeiro.

O cooperativismo é um dos segmentos econômicos que mais crescem no Estado do Rio de Janeiro. Até o mês de janeiro de 2016, o número de cooperados chegou a 189.054, ante os 187.629 associados registrados no final de 2014. Essa pujança foi ressaltada por um dos grandes defensores das causas cooperativistas, o deputado estadual Paulo Ramos.

Segundo o parlamentar, o cooperativismo avançou, mas ainda precisa crescer mais para prevalecer como modelo econômico. “Meu mandato sempre esteve à disposição das cooperativas e sempre que possível tenho buscado contribuir para o cooperativismo. O segmento está mais forte e presente nas questões políticas. Através da Frencoop Fluminense, temos trabalhado para evitar ações que possam prejudicar cooperativas, independentemente do seu ramo. A luta é grande, mas estamos conseguindo trabalhar e reverter as ações”, comentou.

Prestes a completar cinco anos à frente da instituição, o presidente do Sistema OCB/RJ, Marcos Diaz, credita a realidade atual do cooperativismo fluminense – hoje um segmento reconhecido pelas instituições públicas e privadas – ao trabalho exercido pela OCB/RJ. “A instituição tem trabalhado com o objetivo de aprender, com a prática, que a maneira mais eficaz de fortalecer o movimento cooperativista é expandir o diálogo com as bases. O cooperativismo está na agenda de desenvolvimento econômico e social do Estado do Rio de Janeiro. Isso é muito importante e fundamental para o crescimento do modelo econômico”, disse o dirigente.

Uma das formas de diálogo com as bases é a formalização de parcerias com Prefeituras e a participação do cooperativismo no debate sobre igualdade de gênero.  Desde janeiro, por exemplo, o cooperativismo tem uma cadeira no Conselho dos Direitos da Mulher da Cidade do Rio de Janeiro (CODIM-Rio). A conselheira do Sescoop/RJ, Inês Salles, representa o Sistema OCB/RJ no Conselho, que discute políticas públicas com foco nos direitos das mulheres, o que permite avançar na política de gênero e fortalecer a parceria entre os poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e a Sociedade Civil.

“Sonho por um Brasil com igualdade de direitos para todos e o cooperativismo é o caminho para isso. O que depender de nós, a mulher ocupará seu devido lugar na sociedade o quanto antes”, disse Inês, que ressaltou o trabalho do Comitê Gestor de Gênero Dona Terezita, criado em 2010 e que trata da paridade de gêneros também entre as cooperativas.

Ainda sobre essa questão, quem esteve presente ao evento foi a representante do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher/RJ (Cedim), Ângela Freitas. Ela parabenizou a OCB/RJ pela data e por também trazer a discussão do gênero. “É importante esse debate dentro da instituição. É fundamental para o desenvolvimento do país que o cooperativismo, que traz nos seus princípios a igualdade de direitos e a democracia, apoie a causa”, comentou.

Diretores

O vice-presidente da OCB/RJ, Jorge Meneses, esteve na solenidade e frisou que os avanços conquistados são fruto de uma instituição composta por profissionais que não se cansam de buscar o melhor para o segmento. O diretor Vinícius Mesquita, por sua vez, destacou o reconhecimento do cooperativismo pela sociedade e acredita que em um futuro próximo seja o segmento econômico do país.

Os diretores Ildecir Sias e Ângelo Galatoli também participaram do evento. Para ambos, o cooperativismo fluminense, graças ao trabalho que vem sendo realizado ao longo do tempo, tem reais condições de angariar um posição de destaque no cenário econômico brasileiro.

O conselheiro de administração do Sescoop/RJ, Antônio Cesar do Amaral, também se pronunciou durante a solenidade. Segundo ele, o sentimento democrático permeia as discussões na instituição. “Tudo é discutido intensamente. É por isso que atualmente o cooperativismo alcançou uma respeitabilidade importante na sociedade e também no âmbito político”, comentou.

Homenagem às mulheres cooperativistas

Em referência ao fato de no mês ser celebrado o Dia Mundial da Mulher – lembrado em 8 de março – personalidades cooperativistas foram homenageadas. Receberam um buquê de flores da instituição a presidente da Cooperativa de Trabalho e Produção de Catadores de Materiais Recicláveis (Coopfuturo), Evelin Marcele, a representante estadual do ramo Educacional, Adelina Salles, a conselheira Inês Salles, e a representante do Cedim, Angela Freitas.

“Desde pequena tenho no sangue o que é ser cooperativista. Minha mãe já atuava em cooperativa de catadores. Hoje, estou como presidente da Coopfuturo e busco trabalhar os princípios cooperativistas junto aos nossos cooperados. Fico feliz com a homenagem e meu desejo que o cooperativismo, através da OCB/RJ, que foi fundamental para a constituição da Cooputuro, mude cada vez mais a vida de homens e mulheres, promovendo a justiça social necessária para o crescimento do país”, finalizou.

 

Fonte: Richard Hollanda – Montenegro Comunicação – Assessoria de Comunicação Sistema OCB/Sescoop-RJ